VALIDADE DO MEL



Seja como alimento, como medicamento ou produto de beleza, o mel é utilizado há mais de 5.000 anos A.C. (já era conhecido pelos sumérios). Também chamado de “ouro líquido” por suas incontáveis aplicações, o mel é considerado um alimento completo, pois é rico em vitaminas, proteínas e sais  minerais.

 

 

O que é o mel?

O mel, chamado por muitos naturalistas de “ouro líquido”, é um dos alimentos mais completos da natureza. É constituído basicamente de glicose e frutose (proteínas), minerais (cálcio, cobre, ferro, magnésio, fósforo, potássio), aminoácidos, ácidos orgânicos como ácido acético e ácido cítrico, vitaminas do complexo B, vitaminas C, D e E, além de alguns antioxidantes como flavonoides e fenólicos.

O mel é o principal produto das abelhas, que recolhem o néctar das flores armazenando-o temporariamente em seu aparelho digestivo, onde sofre a ação de várias enzimas, para regurgitá-lo nos alvéolos dos favos no interior da colmeia, onde perde parte da sua água e então transforma-se no mel, que irá alimentar as abelhas.

Embora existam mais de 20.000 espécies de abelhas, a mais comum no Brasil e explorada comercialmente é a Abelha Africanizada, resultado da mistura da Apis Mellifera Lingústica (Abelha Europeia Italiana) e a Apis Mellifera Scuttelata (Abelha Africana).

São vários os tipos de mel, com características diferentes de cor, sabor, densidade etc., consequência do tipo das flores onde se encontra a colmeia. As floradas responsáveis pelo mel mais comumente encontrado no Brasil são as de flores de laranjeira, flores silvestres e eucalipto.

Entre as atividades terapêuticas podemos distinguir as seguintes ações do mel: Antibacteriana, Antibiótica, Anti-inflamatória, Antimicrobiana, Depurativa, Emoliente, Energética, Cicatrizante e Imunoestimulante.

 

 

Qual a validade do mel?

Em média o prazo de validade do mel encontrado nas embalagens é de até 2 anos. O mel industrializado, pelas interferências na colheita, manipulação, envasamento e armazenamento, e ainda sofrer possíveis misturas, corre um risco maior de mudanças em sua composição.

Já o chamado mel puro, envasado e vendido diretamente pelo produtor, que o retira do favo direto para uma embalagem de vidro, é de longa durabilidade, principalmente se for mantido em ambiente livre da luz, calor e umidade. Isso acontece por causa da composição química do mel, cujo ambiente não favorece a proliferação de micro-organismos e bactérias.

 

 

Porque o mel tem validade?

Há quem garanta que o mel não tem validade, porém ele pode sofrer ação do ambiente, da florada (com ou sem agrotóxicos), da colheita e envase (fator de higiene) que podem provocar alterações em sua composição química, levando ao chamado “azedamento”, tornando-o impróprio para consumo.

 

Onde encontrar a validade do mel?

Quando houver indicação de validade (normalmente no mel industrializado) ela deverá estar escrita no rótulo da embalagem.

Já o mel adquirido diretamente do pequeno apicultor, chamado de “produção caseira” dificilmente terá um rótulo contendo esta informação.

Facebook Twitter Google Plus WhatsApp
Sobre o autor: Mais deste autor.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *